Vídeos

 

   

 

 

    

 

 

 

 

 

 

Um Sacerdote Americano

Home / Um Sacerdote Americano

UM SACERDOTE AMERICANO

             O padre Albert Shamon, de Nova Iorque, quis ir a Medjugorje constatar a veracidade das aparições. Conta ele que, no primeiro dia, estava meio inseguro e que, por isso, resolveu levar o Santíssimo Sacramento consigo, como fazem todos os sacerdotes quando são chamados para socorrer um doente. Tinha a certeza que, “se essas aparições fossem obra do demônio, a presença de Nosso Senhor iria ‘despacha-lo’.” Conta-nos ele: “Quando cheguei, já havia uma grande multidão concentrada à frente da porta que leva à sala das aparições. Fiquei com medo de não poder entrar, mas um sacerdote franciscano, que vigiava a porta viu-me, afastou a multidão e disse-me que entrasse. Atribui este favor ao Santíssimo que me acompanhava.

            A sala estava completamente cheia e eu fiquei “espalmado”, contra a parede, mas estava contente por lá estar. Quando Marija e Jakov, acompanhados pelo padre Slavko, chegaram, ficaram de joelhos no vão da porta a rezar o rosário. Pararam ao terceiro mistério doloroso. O Padre Slavko começou então a abrir um pouco de espaço na sala e ordenou a todos os que estavam à minha frente que deslocassem. Para minha satisfação, fiquei ao lado de Marija.

            A aparição começou e, a um sinal do padre Slavko, todas as pessoas se puseram de joelhos. Todos, menos eu, porque, apesar de todos meus esforços, os meus joelhos recusavam dobrar-se, estavam bloqueados. Confuso, inclinei-me ao máximo par não ser notada. Na missa que concelebrei naquela noite, os meus joelhos funcionaram normalmente.

            Na tarde do sai seguinte, resolvi tentar novamente e posicionei-me diante da porta. O mesmo Franciscano fez-me sinal par entrar e agradeci a Jesus que continuava a levar comigo, este insigne favor. Mas, na hora da aparição, foi impossível pôr-me de joelhos! Apesar de todos os meus esforços, nada feito! Tive de dobrar-me novamente bloqueados, pedi à Santíssima Virgem que me dissesse porquê. Então ouvi: “Não quero que o Meu Filho se ajoelhe diante de Mim!”

 

 

Do livro o lugar do Amor