Vídeos

 

   

 

 

    

 

 

 

 

 

 

As 5 Pedrinhas

Home / As 5 Pedrinhas

      Pe. Emiliano Tardif antes da sua morte, no dia 8 de junho de 1999, (fez um comentário sobre AS CINCO PEDRINHAS, síntese das mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje). As aparições de Nossa Senhora Rainha da Paz foram preditas por ele um mês antes que acontecessem, durante um retiro para sacerdotes, em Roma, maio de 1981.
      Quando Jesus disse que há mais alegria no céu por um só pecador que se converte que por noventa e nove justos que não necessitam de conversão, está nos convidando a mudar de vida e a viver na fidelidade da Sua misericórdia. A Virgem Maria, durante Suas aparições, nos recorda a mensagem do Evangelho: CONVERTAM-SE! 
      Um dia, em Medjugorje, a Virgem nos pediu para viver a seguinte mensagem: "Queridos filhos, Eu os convido à conversão individual. Este tempo é para vocês, porque o Meu Filho, sem sua cooperação, não pode realizar o que deseja. Queridos filhos, rezem a fim de que possam crescer espiritualmente e ficar mais próximos de Deus. Entrego-lhes as CINCO PEDRINHAS, que representam as armas contra seu gigante Golias, com as quais poderão vencer qualquer batalha".

1ª PEDRA: EUCARISTIA

5 PedrinhasA EUCARISTIA é o mesmo Jesus de Nazaré vivo, verdadeiro e ressuscitado. Não é uma presença simbólica de Jesus, mas Sua presença real. Nós não O vemos, porém acreditamos que Ele está verdadeiramente presente na força da Sua palavra. Jesus mesmo, em verdade, nos diz: "Tomai e comei, isto é o Meu corpo"; e depois, pegando um cálice com vinho, nos fala: ‘‘Tomai e bebei, isto é o Meu sangue". Sangue da nova e eterna aliança que será derramado por vós e por todos, para a remissão dos pecados. Fazei isto em memória de Mim".
A Igreja, sendo consciente de que se trata de um grande mistério, determina que o celebrante, depois da consagração, proclame: ‘‘Eis o mistério da nossa fé."
Com o poder da Eucaristia podemos nos defender dos ataques do inimigo com muita facilidade. A Eucaristia é o sacramento da nossa salvação. Jesus nos convida: "Fazei isto em memória de Mim", e é pela força destas palavras que podemos celebrar a Eucaristia.
A Santíssima Eucaristia é o Sacramento do Amor de Jesus, através do qual Ele se doa a nós como Pão Vivo descido do Céu. Na noite da Páscoa, Jesus nos doou Seu corpo para fortificar-nos. Não é por acaso que a Virgem Santíssima nos indica a Eucaristia como primeira pedra, para defender-nos do nosso gigante Golias, que é satanás".

2ª PEDRA: CONFISSÃO

1Como segunda pedra, a Virgem recomenda a CONFISSÃO, que é o Sacramento da Reconciliação. O Sacramento da Reconciliação não é um castigo, mas o presente de páscoa de Jesus ressuscitado. Depois da ressurreição, Jesus apareceu a Seus apóstolos, soprou sobre eles e disse: "Recebei o Espírito Santo. Aqueles a quem perdoardes os pecados, ser-lhes-ão perdoados; àqueles a quem os retiverdes, ser-lhes-ão retidos." Quando é que um sacerdote não pode perdoar um pecado? Quando a pessoa não está sinceramente arrependida. Jesus nos Evangelhos nos diz: "Existe um só pecado que não será perdoado, nem neste mundo nem no outro, que é o pecado contra o Espírito Santo". Qual é o pecado contra o Espírito Santo? É a falta de arrependimento, porque no dia do nosso batismo Jesus fez de nós verdadeiramente filhos de Deus, templos vivos do Espírito Santo e herdeiros do Céu. Desde o dia do nosso batismo o Espírito Santo fez morada em nós como em um templo. Quando cometemos um pecado, Ele nos impulsiona ao arrependimento, nos ajuda, nos faz ter um sentimento de culpa e um desejo de pedir perdão. Se a pessoa não deseja pedir perdão, não poderá ser perdoada, nem neste mundo nem no outro. Porém, não é suficiente confessar o próprio pecado ao sacerdote. É necessário estar sinceramente arrependido para receber a absolvição. Por isso Jesus fala: "Aqueles a quem perdoardes os pecados, ser-lhes-ão perdoados; àqueles a quem os retiverdes, ser-lhes-ão retidos".
Este sacramento é benção que nos restitui a paz. Outras vezes as pessoas se confessam, mas têm o mau costume de dar voltas ao redor dos próprios pecados, com o desejo de diminuí-los e evitar que o sacerdote tome consciência daquilo que realmente fizeram.
Recordo-me de que uma vez uma mulher veio para se confessar. Perguntei-lhe: "Filha quer que Jesus te perdoe? Respondeu-me: "Padre, eu disse uma pequena mentira, porém era uma coisa insignificante". Eu continuei; "Deve me dizer outras coisas?" Ela respondeu; "Sim, fiquei brava, porém, não exageradamente". Fez alguns minutos de silêncio e depois continuou: Ah, esqueci, com o meu namorado fiz um menino, porém é pequeno, pequeno...".
Digam-no irmãos, fazer um menino pequeno é menos pecado do que fazer um grande? Ela desejava diminuir seu pecado de forma que parecesse lícito. Não temos motivo para diminuir nossos pecados, mas devemos fazer deles um só pacote para entregá-lo a Jesus, a fim de que os queime na fornalha ardente do Seu Coração. Não devemos esconder nada! Devemos tomar consciência de que este sacramento da misericórdia de Jesus é para restituir a paz a todos que a perderam por causa do pecado.
Alguns, infelizmente dizem: "Eu me confesso diretamente com Deus". Claro, estou de acordo. Também eu, quando confesso, "Confesso a Deus, todo Poderoso, e a ti padre..." porém, Deus me ama tanto que delegou seu ministro para que nos diga, com amor, fazendo a vez de Cristo: "Eu te absolvo dos teus pecados em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo", O sacerdote não diz: "Eu te absolvo em meu nome" mas "em nome de Deus". Em meu nome, eu, sacerdote, não posso perdoar pecados, porém o posso em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Quanta paz sentimos ouvindo dizer que Deus nos perdoa! O sacerdote, no momento, é um dom para todos. Confessam-se o Papa, os bispos, os sacerdotes, as freiras e todos os cristãos que receberam uma válida evangelização. Este sacramento é uma grande bênção para maior crescimento espiritual, para viver uma vida de pureza, amor e para poder caminhar como filho da luz. Por isto, a Virgem Maria nos propõe esta segunda pedra, para defender-nos contra o gigante Golias, que se chama satanás, que deseja nossa perdição.

 

3ª PEDRA: PALAVRA DE DEUS

1A terceira pedra, proposta pela Virgem, é a Palavra de Deus, a SAGRADA BÍBLIA. A Palavra de Deus é luz que faz sair das trevas do pecado. E a palavra da verdade que nos liberta da mentira, na qual satanás quer que vivamos. É a palavra de VlDA. A palavra de Deus, o mesmo Jesus,que é oVerbo do Pai que nos orienta. São Paulo diz: "a fé vem da Palavra de Deus e da pregação dela". Lendo a Bíblia, alimentamos nossa vida espiritual com a Palavra de Deus.

 

 

 

4ª PEDRA: JEJUM

1Em primeiro lugar, Maria nos chama à oração, isto é, à união com Deus, e em seguida ao JEJUM: vale dizer, a libertar nosso coração das necessidades que o prendem às coisas materiais.
Desta maneira o jejum nos levará a uma nova liberdade do coração e da mente. O jejum é um chamado à conversão do nosso corpo. Em outras palavras, é o processo através do qual nos tornemos livres e independentes das leis materiais.
Libertando-nos das coisas exteriores, nos libertamos também das paixões que perturbam nossa vida interior. Esta nova liberdade abrirá dentro de nós espaço para outros valores. Portanto, o jejum nos liberta de uma certa escravidão e nos torna livres para saborearmos a verdadeira felicidade.

 

 

 

 

5ª PEDRA: REZAR COM O CORAÇÃO - O SANTO ROSÁRIO

1Se a oração é essencial para nossa vida espiritual - e pode transformar cada uma de nossas ações num ato de amor a Deus e aos irmãos - reflitamos sobre estes ensinamentos que Nossa Senhora nos oferece: "Convindo-vos a serdes, em tudo, modelo para os outros, especialmente na oração e no testemunho. Sem vós não posso ajudar o mundo. Desejo que colaboreis Comigo em tudo, até mesmo nas menores coisas. Por isso, filhinhos, AJUDAI-ME: QUE VOSSA ORAÇÃO VENHA DO CORAÇÃO. Abandonai-vos totalmente a Mim. Assim podereis instruir-vos e guiar-vos pelo caminho que comecei a percorrer convosco". "Não rezeis com os lábios, mas com o CORAÇÃO", o Senhor não quer uma oração formal, mas pede-nos que nos dirijamos a Ele com o CORAÇÃO".

"O Santo Rosário é nossa oração predileta, que oferecemos a Maria..." (João Paulo II). Esta oração deve ser dirigida à Santa Virgem e, ao mesmo tempo, rezada junto com Ela, para meditar e reviver os mistérios que Ela meditava no Seu Coração e continua meditando. Estes são os mistérios da vida eterna, todos têm dimensão escatológica. Estão imersos no mesmo Deus. Naquele Deus ‘que habita em uma luz inacessível, que nenhum homem viu, nem pode ver', estão imersos todos estes mistérios tão simples e tão acessíveis... e tão estritamente ligados à história da nossa salvação. A oração constante e vivida com interioridade (com o coração), produz uma transformação da alma que, por sua vez, reflete-se também no comportamento externo da pessoa. Por isso, Nossa Senhora nos lembra que: "Quando rezais ficais muito mais bonitos: ficais como as flores que, depois da neve, mostram toda a sua beleza, em cores indescritíveis. Assim também vós, filhinhos, depois da oração, vos tornais mais belos diante de Deus e mais caros a Ele. Por isso, queridos filhos, rezai e abri vosso coração ao Senhor, para que Ele faça de vós harmoniosas e belas flores para o Paraíso".


Estas "CINCO PEDRINHAS" nos deu Maria para nos ajudar a ser mais fortes na nossa vida espiritual e a vencer definitivamente o demônio.
Deste mesmo modo é que David venceu Golias, graças às cinco pedrinhas. Assim Nossa Senhora nos ensina a vencer satanás, o Golias da nossa vida espiritual.