Vídeos

 

   

 

 

    

 

 

 

   

 

 

Atualidade

Home / Atualidade

Será que temos motivo para ter medo?

Homilia completa Frei Damir Pavic – 25/6/17

Medjugorje 25.6.2017 

 "Não temais aqueles que matam o corpo, mas não podem matar a alma; temei antes aquele que pode precipitar a alma e o corpo na geena." (Mt 10,28)

 

Reflexão Inicial da Santa Missa

Todos vocês já escutaram a palavra alquimia. Ela representa a tentativa do homem , por séculos,  de transformar um metal comum em ouro e prata. Logicamente sabemos que isso é impossível.

Para nós, fiéis, isso não é necessário, pois nos é oferecido algo muito mais intenso e muito maior. Aqui em Medjugorje e por todo o mundo, de uma forma simples, Deus  faz acontecer essa alquimia espiritual! O Espírito Santo faz a verdadeira alquimia em nossos corações: corações feridos, doloridos, entristecidos e pecadores. Transforma-os com sua força divina – A força do Espírito Santo! Por isso, é tão necessário o Espírito Santo. Ele é a maior necessidade para a Igreja hoje! Único de que  precisamos. É maravilhoso refletir o que nos diz a beata Elena Guerra para quem é necessário o Espírito Santo:

  • Os inocentes precisam d'Ele para não pecar;
  • Os pecadores, para que possam se converter;
  • Os justos, para serem perseverantes;
  • Os cegos, pois Ele é a luz;
  • Os fracos, pois Ele é nosso amparo;
  • Os aflitos, pois Ele é o melhor consolador;
  • Os de coração frios, pois Ele é o fogo;
  • Os que são áridos, pois Ele é a fonte de água viva;
  • Os que saíram do caminho reto, pois Ele é o guia que nos auxilia a vencermos todo o mal;
  • Os que almejam o Céu, pois Ele santifica a nossa alma;
  • A sociedade atual, para que não recaia nas falsas profecias e na heresia.

 

 Queridos filhos, essas são palavras que, insistentemente, ressoam aqui em Medjugorje. Maria não convida um grupo específico de pessoas, não faz distinção de pessoas. Ao contrário, Ela fala a todos: “queridos filhos”, como  nossa mãe da Terra, preocupada com seus próprios filhos, vendo-os  seguirem o caminho errado. Nas costumeiras palavras “queridos filhos” estão, ao mesmo tempo, o perdão, a advertência, a preocupação, mas principalmente um amor incomensurável. Assim é o coração maternal!

 

Por isso, renunciemos ao pecado, pois o pecado entristece o Imaculado Coração de nossa mãe celestial, e abramo-nos à ação do Espírito Santo no início desta santa missa. Ela é um encontro vivo com Jesus vivo que deseja doar-Se a nós através do Seu Espírito e transformar nosso coração. Que em tudo isso nos ajude Maria, a esposa do Espírito Santo.

 

 

Homilia 

 

Vocês têm medo? Vocês têm pavor em seu coração ao observarem tudo o que está acontecendo em torno de nós e em todo o mundo?  Não parece que está tudo arruinado? Por todos os lugares se espalham a desesperança e a depressão, como se tudo estivesse perdido, e nada mais pudéssemos fazer.  Tudo aquilo que é bom parece que se escondeu e ficou entre quatro paredes, diante da torrente negativista de maldades que parece ser muito maior.  Vejam somente alguns exemplos do mundo em que vivemos.

 

- Destroem-se países e destituem-se presidentes de países sob o pretexto de introduzir a democracia e os direitos humanos, fazendo chorar o Céu por causa dos enormes crimes.  Lembremos a destruição do Iraque e as palavras do Secretário de Estado dos Estados Unidos, após ter matado meio milhão de crianças: “Este é um dano colateral que vale a pena, por tudo aquilo que nós conquistamos!”  Percebemos aí uma grande hipocrisia! Parece que a vida de um homem em Berlim, Bruxelas, Londres ou Nova York é mais valiosa do que milhares de pessoas na Líbia, no Egito, Iemem, na Síria ou no Iraque.

 

- Intencionalmente, criam-se guerras e conflitos e, então, são impostas soluções que trazem ainda mais violência e ódio. A indústria de armas trabalha como nunca antes.

 

- A mídia, incessantemente e descaradamente, nos engana, escondendo a verdade e transformando a mentira em verdade.

 

- Crianças são mortas no ventre das mães. Mais crianças são mortas do que aquelas que nascem! Isso se justifica, pois representaria a liberdade de escolha da mulher.

 

- A agressiva minoria homossexual em todo o mundo, com a ajuda do governo, impõe o seu estilo de vida, antinatural e oposto à forma de vida de Deus. Aquele que se opõe é perseguido e condenado. Estamos nos níveis de podridão que imperavam em Sodoma e Gomorra.

 

- Nas escolas, a ideologia de gênero é introduzida nos currículos escolares, para que se possa mudar a mentalidade do grupo mais vulnerável: crianças e jovens.      - As Nações Unidas – reunião de todos os países do mundo, organização criada para promover o bem a todos os povos, transformou-se em um instrumento na mão dos poderosos.      

 

- Grandes bancos globais, que são sanguessugas do Sangue de Cristo – como foram chamados por São Tiago das Marcas – destroem países e indivíduos, lançando-os na escravidão para pagar dívidas.    

 

- O terrorismo islâmico ameaça nossos passos, e nenhum país  está em segurança.      

 

- Lentamente, são introduzidos sistemas de controle e supervisão, e a nossa vida se transforma em um enorme palco, onde todos os nossos movimentos podem ser observados.    

 

- As seitas maçônicas, eternas inimigas da Igreja de Cristo, contra as quais se deve lutar e, pelas palavras de São Maximiliano Kolbe, rezar pela sua conversão, tomaram conta de todos os cantos e administram quase todo o mundo. Elas têm um desejo tresloucado de destruir a própria Igreja

 

– a Igreja à qual se referia Cristo, ao dizerem que nem as portas do inferno prevalecerão sobre elas!  Em campo, encontram-se  seus exércitos obedientes, que se apresentam como filantropos, ativistas, combatentes dos direitos humanos, mas que, na realidade, destroem o homem,  tornando-o escravo de paixões pífias.      

 

- Essa fumaça de satanás, pelas palavras do papa Paulo VI, entrou na  Igreja, difundindo em seus fiéis o espírito do modernismo e materialismo. A Igreja está sendo submetida a inúmeros ataques que fazem sangrar suas várias feridas. O resultado de tudo isso é um massivo abandono da fé: alguns se tornam ateus, outros se maravilham com o islã e religiões orientais, enquanto  teólogos liberais, dentro da própria Igreja, vendem suas mentiras, como se não existissem nem inferno, nem diabo, nem pecado, como se  o homem estivesse livre e sem limites, tornando-se assim  o centro de tudo. Menciono esses, mas poderia enumerar outros exemplos!

 

Teremos nós motivo para temer? Nem um pouco. O próprio Jesus anunciou inúmeras tentativas e o grande ataque da fé que haveria de se realizar com as palavras: “Mas quando o Filho do Homem vier, será que encontrará a fé na Terra?” Entretanto, a grande pergunta que se faz é: "Como afastar o medo e permanecer fiel às palavras de Jesus que escutamos hoje "Não tenhais medo!"? (Mt 10.26) O que pode dissipar o medo de nosso coração, para que não sejamos tomados pelo desespero e a aflição, sem que, em nosso coração, sintamos que tudo está perdido, e não falemos as palavras pronunciados pela boca dos ímpios, como nos disse o profeta Isaias: “Comamos e bebamos, porque amanhã morreremos!” (Is 22,13) ? O que é necessário para renovar a Igreja, e o que precisa acontecer para que os cristãos se tornem corajosas testemunhas de Jesus e se tornem verdadeiros combatentes, que não têm medo de nada?

 

Pergunto a mim e a vocês: "Poderá a Igreja sair da crise e formar corajosas testemunhas através de conferências, palanques, mesas redondas, equipes de trabalho, reuniões, argumentos teológicos, brochuras, manuais, diretrizes e programas? Para que serve um programa pastoral completo em alguns países do Ocidente se as igrejas estão vazias e se transformaram em luxuosos hotéis, mesquitas, cafés e shopping centers?" Escutei recentemente um membro do alto escalão da Igreja daqui de nossa região, que disse que a coisa mais importante, para estabilizar a Igreja, é  estruturá-la como fazem no Ocidente: com conselhos pastorais e econômicos. E continuava dizendo como via nisso o futuro da Igreja. Reflito sobre isso com um pensamento amargo. A Igreja na Alemanha tem um conselho administrativo completo e suas várias comissões, diretores e consultores, secretários e secretárias. Tem até um sistema de cobrança de impostos, mas a Igreja, as igrejas estão cada vez mais vazias, e as pessoas em massa abandonam a sua fé!

 

Queridos fiéis, existe apenas uma Pessoa que pode renovar a Igreja de Cristo. Essa Pessoa é o Espírito Santo! Foi Ele que atuou ao longo de toda a história, e Sua ação pode ser identificada em todas as páginas da Sagrada Escritura. A menos que tenhamos ficado cegos e não queiramos enxergar isso com nossos próprios olhos! Foi o Espírito Santo – A Força de Deus – que conduziu os fracos, os sem poder, os sem estudos, os desconhecidos a realizarem grandes e milagrosas obras, e por quê? Porque “Assim nenhuma criatura se vangloriará diante de Deus.” (1 cor 1,29) Vejamos apenas alguns exemplos na Sagrada Escritura de como Deus, através dos pequenos, faz grandes obras.

 

  • Deus escolhe o pequeno povo de Israel, como o seu povo amado.      
  • Escolhe Moisés, homem que tinha boca e língua pesadas,  para libertar o seu povo.  (Êxodo 4,10)    
  • Deus escolhe Gedeão, dentre os últimos da família da tribo de Manassés, para  libertar Israel das mãos dos Medianitas. (Juízes, 6)     
  • Sansão com a força de Deus, uma queixada de jumento nas mãos e sozinho venceu milhares de filisteus. (Juízes 15,9-20)      
  • Deus escolhe pastores e simples camponeses para serem seus profetas.
  • Dentre os pastores de ovelhas, escolhe o filho mais novo de Jessé, o jovem Davi, e o constitui  rei de Israel. ( 1Sam 16,1-13)    
  • Escolhe a simples e humilde jovem de Nazaré, Maria, para ser a Mãe do prometido Salvador. (Lc 1,26-38)     
  • Jesus escolhe desconhecidos e pobres pescadores para divulgar o seu Evangelho por todo o mundo. (Mc 1,16-20)    
  • A Bem-Aventurada Virgem Maria, da mesma maneira, ao longo de toda  sua história de aparições, escolheu sempre crianças simples, pastorinhos pobres, para que eles levassem  Sua mensagem ao povo.

 

Chegamos, então, a Medjugorje. O que é Medjugorje no grande mapa mundial? Nada! Se antes das graças que aqui acontecem, vocês perguntassem a pessoas da Coreia ou dos Estados Unidos, elas não poderiam identificar no mapa-múndi onde era a ex-Iugoslávia! Nem muito menos saberiam onde é a Bósnia-Herzegovina ou Medjugorje: um pobre e insignificante povoado! Assim também eram desconhecidas: Nazaré, Guadalupe, La Salette, Lourdes, Fátima, Kibeho em Ruanda. Em todos esses lugares, encontramos sempre essa mesma marca de Deus.

 

Olhando também para nós aqui, podemos nos perguntar: "O que é esse punhado de fiéis em relação ao tão grande número de incrédulos que nos cercam?" Nada! Isso se olharmos pelo ponto de vista humano! Mas Deus deseja renovar o mundo através de um punhado de gente que será fiel a Ele. E aqui em Medjugorje, neste pequeno local, Deus quer fazer grandes coisas através daqueles que desejam escutar e acolher o chamado da Rainha dos Céus à conversão!

 

Por isso, o Espírito Santo é tão necessário  para nós.  É necessária também Aquela que é a esposa do Espírito Santo. O chamado de Medjugorje é um convite de casamento com o Espírito Santo. O convite a nos abrirmos ao sopro do Espírito, que aqui sopra e se derrama a quem quiser, o que quiser e tanto quanto quiser. No idioma croata, a palavra noivo/noiva denota aquele que se segura pela mão, e nisso há uma mútua reciprocidade. Maria, durante toda  Sua vida, segurou na mão do Espírito Santo, Seu Noivo. Essa mão, Ela nunca largou!  Assim também Ela deseja nos ensinar a receber essa mão e nunca a largar, para que nós nos tornemos noivos e noivas do Espírito Santo!

 

Orgulhosos e presunçosos cristãos não podem compreender que a Igreja deve ser conduzida pelo Espírito Santo, e não pela inteligência e sabedoria humana. Lembrem-se das palavras de Jesus que disse aos seus discípulos, quando não conseguiam libertar alguém que estava em possessão: “Esta espécie de demônio não se pode expulsar senão pela oração e jejum (Mc 9,29)". "Será que essas palavras de Jesus não valem também para atual geração de cristãos? Será que a nossa incapacidade de curarmos o mundo, que está com a alma presa ao materialismo não é semelhante a dos incapazes apóstolos de curar a pessoa que estava possuída? Será que, em nossa imaginação, pensamos que somos suficientemente desenvolvidos e inteligentes e que podemos salvar a Igreja e o Mundo?" É por isso que é tão necessário para a Igreja hoje, como foi outrora para os apóstolos, escutar e entender as palavras de Jesus, as mesmas que Ele, novamente nos fala aqui, pela boca de Sua Mãe: "Rezem com o coração! Jejuem com o coração!"  A Igreja será salva pelo exército daqueles que irão rezar e jejuar. Eu pergunto a vocês: "Quem pode rezar com o coração e jejuar com o coração?" Somente aquele que vive imerso no Espírito de Jesus, no Espírito Santo!

 

Parece que o homem de hoje, que está profundamente amarrado ao materialismo e cujo estômago está farto, além de todo o luxo e prosperidade em torno dele, morre de fome!  Vou mencionar o exemplo de vida do Irmão Klaus (São Nicolau de Flue), santo suíço, que é um ensinamento e um alerta para o mundo de hoje.  Esse santo percebeu que a podridão existente nas pessoas, provém da ganância humana e que a cobiça somente pode ser repelida pela oração e pelo jejum. Por isso, ele começa a rezar e jejuar, vivendo numa pequena cabana de madeira, cujo único móvel era um pequeno forno. Ele não precisava de cama, pois dormia no chão. Não precisava nem de mesa nem de utensílios, pois, pela graça de Deus, ao longo de vinte anos, ele não precisou alimentar-se de nada, exceto do pão consagrado! Contra todos aqueles  que não acreditavam que isso fosse possível, Walter Nigg, um escritor protestante, escreve maravilhosamente sobre o Irmão Klaus:  “Em um tempo em que as pessoas enchem a barriga com comida além da medida adequada para um animal, a comida sagrada libertou este escolhido de Deus da necessidade do alimento comum."

 

Queridos peregrinos, desejo que todos nós coloquemos hoje, como nosso guia, uma santa mulher. Uma mulher de nosso tempo, apóstola do Espírito Santo! Ela é a Beata Elena Guerra a  quem o papa João XXIII  chamou de apóstola do Espírito Santo. Ela foi a primeira beata, que ele proclamou no início de seu pontificado, em 1959. Essa curiosa religiosa  correspondia-se com o grande papa Leão XII e o incentivava a conclamar o mundo a rezar pelo retorno do Espírito Santo. A sua vocação era voltada ao chamado ao novo Espírito na Igreja. Por sua influência, o papa Leão XIII, em 1897, publica a encíclica Divinum Illud Munus. Uma linda encíclica sobre o Espírito Santo! E, no século XX, inicia-se a invocação ao Espírito Santo em nome de toda a Igreja. Portanto, não é correto o movimento carismático este ano celebrar o cinquentenário  desse movimento! Este ano precisamos celebrar os 120 anos desse Espírito Novo, pois a publicação dessa encíclica impulsiona e amplia uma nova força do Espírito Santo. Muito antes do que afirmam vários movimentos espirituais! Lindas são as palavras que essa beata escreve ao Papa Leão XIII em sua carta do dia 17 de abril de 1895. Vou apresentar apenas alguns trechos.

 

- Santo Padre, o mundo está se tornando triste, o espírito de satanás triunfa neste mundo pervertido, e um grande número de almas ele tira do Coração de Deus. Nessa triste situação, cristãos ou não, discutem entre si para ver quem é que consegue renovar o rosto da Terra. São divulgadas inúmeras novenas, mas aquela novena que nos indicou o próprio Salvador e que foi realizada por Maria, juntamente com seus apóstolos, caiu em esquecimento.      

 

- Os pregadores louvam todos os santos, e isso também é bom. Mas vocês já escutaram alguma vez, algum sermão em honra ao Espírito Santo, pois não é Ele, aquele que dá forma ao santo?        

 

- Santo Padre, poderia o senhor agir para que os cristãos se dirijam  ao Espírito Santo, a fim de que o Espírito Santo recaia sobre nós, destrua as obras do diabo e nos dê a renovação desejada da face da Terra?  

 

- Se fôssemos concordantes e unidos, tal qual naquele dia, na sala da Última Ceia, direcionaríamos nossas orações para os Céus e pediríamos ao Espírito Santo que descesse do Céu. Quantas bênçãos esse tipo de oração poderia derramar sobre nós! Será que nossa Mãe Maria, que nesses dias estava com os apóstolos, não estaria também conosco em nossa nova sala da Última Ceia?  Será que Ela, antecipadamente, já teria pedido tantas graças celestiais?

 

Essa santa compreendeu perfeitamente que o ponto de partida para a renovação da Igreja é o Espírito Santo. O Espírito Santo precisa novamente ser descoberto, reconhecido, invocado e amado. O Espírito Santo deve  ser o princípio ativo e dinâmico para toda a Igreja. Nesse sentido, Elena prenunciou os sinais de nosso tempo. Vejamos as palavras dessa santa no contexto de Medjugorje. Não será Medjugorje a nova sala da Última Ceia? O cerne de Medjugorje é esta igreja e este altar. O ápice do programa espiritual de Medjugorje sempre é a celebração da santa missa! Pois não é exatamente aqui que muitos se curam? Durante a santa missa? Tomemos como exemplo uma mulher dos Estados Unidos que, aqui em Medjugorje, após receber a comunhão,  levantou-se  de sua cadeira  de rodas e, desde então, regularmente, juntamente com seu marido, retorna a esta cidade trazendo peregrinos.

 

Somente quando compreendermos a beleza da santa missa, quando entrarmos na sala da Última Ceia, somente, então, verdadeiramente compreenderemos o que é necessário e o que é  mais importante na  mensagem de Medjugorje. Somente, então,  compreenderemos que, em Medjguorje, não são importantes os videntes, nem as aparições, nem se Nossa Senhora apareceu um dia, dez dias ou treze mil dias, mas importante é saber se você se converteu e se você retornou às palavras da Sagrada Escritura, à oração, à Jesus, ao sacramento da confissão e especialmente à santa missa! Quando entendermos tudo isso, descobriremos o segredo de Medjugorje. A partir disso, então, desaparece todo tipo de curiosidade ou expectativa: "Será que a Igreja irá reconhecer Medjugorje? Quando irá reconhecer tudo que acontece aqui?" Tudo isso passa a não ter mais importância.

 

Queridos peregrinos, devemos encarar Medjugorje com seriedade! Não podemos explicar de forma diferente, o que acontece aqui, senão por uma interferência do Céu. Várias pesquisas demonstraram que as crianças, agora  adultos, eram saudáveis. Isso foi comprovado por policiais, médicos, psiquiatras e membros de várias comissões que, por anos,  observaram-nos, beliscaram-nos, espetaram-nos, gritaram com eles e até os forçaram  a reconhecer que estavam mentindo. Mas  eles, teimosamente, diziam: “Matem-nos, se desejarem, mas nós vimos Nossa Senhora!”. Assim também aconteceu com os apóstolos, após a descida do Espírito, quando foram conduzidos ao Sinédrio, gritaram com eles e os ameaçaram para não falarem em nome de Jesus, e eles respondem: "Não podemos deixar de falar das coisas que temos visto e ouvido." At 4,20

 

É importante mencionar o que muitos falam: "Que em Medjugorje tem tudo aquilo que não é apropriado para este lugar: comerciantes, ladrões, feirantes, aqueles que se enriquecem às custas dos peregrinos que aqui chegam". Poderíamos questionar: "Mas não foi assim também em Jerusalém, em Roma?" Pois em qualquer lugar onde Deus se apresenta, para  lá também o diabo envia seus exércitos.  Contudo, com relação a isso podemos dizer apenas: "Tristes daqueles que desejam se enriquecer às custas da graça de Deus e não se converteram!"  Assim como naquele dia no Templo, Jesus irá revirar suas mesas repletas de riquezas e irá bater neles com o chicote de sua justiça! Ai de mim! Ai de vocês! É lamentável a todos nós se não aceitarmos o Evangelho de Jesus, se nossa alma e nosso corpo que são templo do Espírito Santo, nós os transformarmos em cavernas de ladrões e morada dos demônios, e se não desejarmos regressar ao Senhor, mesmo que tenhamos recebido tantos chamados dos Céus, mesmo com as inúmeras mensagens da Mãe, cujas imagens choram lágrimas de sangue ao redor do mundo!

 

Queridos peregrinos, a que os incentiva Medjugorje, ao retornarem as suas casas? Se desejarem cantar o Magnificat, antes de tudo, precisam dar o seu Fiat.  Fiat, o sim. “Sim, Senhor, que seja conforme a tua vontade.”  Isso não é nem um pouco fácil. Por isso, Nossa Senhora  derrama grandes graças aqui: para que  possamos cantar felizes a  música Magnificat. E, então,  quando retornarmos deste lugar de tantas graças para  nossa casa, poderemos dar o próprio Fiat e viver o cotidiano de nosso mundo, que está cheio de cruzes, perseguições, pauladas e dores. Maria, como Mãe, deseja nos ensinar que esse é o caminho dos verdadeiros seguidores de Seu Filho. Ou, como disse um escritor: "Está na natureza do cristão ser perseguido!"

 

Portanto, não alimentemos o diabo com os nossos medos. Não alimentemos com os nossos próprios medos esse ser hediondo que foi rejeitado por Deus e por todos aqueles que, pelo pecado, entregaram-lhe a vida. Isso é o pior que nos pode acontecer! Sobre isso, Jesus nos fala no evangelho de hoje: “Não tenhais medo!” Mt 10,29. Ele diz para termos medo do que pode condenar  nosso corpo e  nossa alma ao inferno. Jesus nos chama e alerta, verdadeiramente, a temermos apenas a Deus. Devemos ter medo unicamente de ofendermos a Deus e ao Seu amor.      

 

Por fim, vou mencionar um maravilhoso livro de Mirjana Soldo-Dragicevic que leva o título de “Meu Coração triunfará”. Essas são as palavras que Nossa Senhora repetiu inúmeras vezes. As palavras de Nossa Senhora nos consolam! Elas são para nós luz e refúgio, para que não tenhamos medo de nada, pois a vitória é nossa, pelo Sangue de Cristo! Por Ele  fomos salvos e remidos! Todos aqueles que estão do lado de Deus fazem parte da equipe vitoriosa! Por isso, não permitamos que o diabo, pelo pecado, nos tire do abraço de Deus. Vivam a sua Fé apropriando-se da arma espiritual que Nossa Senhora nos dá aqui: terço, confissão, santa missa, jejum, Sagrada Escritura. Não precisamos de mais do que isso para vivermos retamente uma vida cristã.

 

Vou concluir essa homilia com as palavras da Beata Elena Guerra que nos diz: "Abandonem-se a Deus, entreguem-se ao Espírito Santo, sede santos. Todo o resto é loucura."

 

Amém! 

 

Frei Damir Pavic

 

 

 

Monsenhor Hoser: “Em Medjugorje não me ocuparei dos videntes”            

    

“Não conheço o motivo pelo qual fui nomeado” – diz-nos Monsenhor Hoser, o enviado do Papa Francisco a Medjugorje, numa entrevista realizada por La Fede Quotidiana (um jornal da web). “Agradeço ao Santo Padre. O cargo não me assusta. Os frutos espirituais de Medjugorje são bons”.

 

Monsenhor Henryk Hoser, polaco, arcebispo da diocese de Varsóvia-Praga, foi nomeado pelo Santo Padre para se debruçar sobre aspectos pastorais em Medjugorje.

 

Excelência, estava à espera deste cargo?

 

“Não, e não conheço o motivo pelo qual o Papa me nomeou. Obviamente, agradeço-lhe, e levá-lo-ei a cabo com todo o meu empenho, mas não me assusta”.  

 

 Monsenhor, é um bispo conservador…  

 

“Não me defino assim. Mas sim – um homem da Igreja que procura ser fiel à Palavra, à Doutrina e à tradição, e obviamente a todos os documentos. Se isto quer dizer conservador, então sou conservador”.  

 

 A Polónia, da qual o Monsenhor é filho, tem normalmente por Medjugorje sentimentos positivos…  

 

“De facto, isso é verdade. Os católicos da Polónia, nação profundamente mariana, têm geralmente uma ideia positiva de Medjugorje. E vão lá em grande número. Todos os anos chegam a Medjugorje, provenientes de vários locais do mundo, cerca de 2 milhõs de peregrinos, e isto significa alguma coisa. De qualquer forma, eu não me ocuparei dos aspectos teológicos e das aparições; isso pertence à Comissão Pontifícia. O meu cargo é pastoral.”

 

E os videntes ?

 

“Para mim não são um problema, nem o problema. Repito: não farão parte do meu trabalho”.

      

João Paulo II, pessoa que o Monsenhor conhecia bem, nutria bons sentimentos em relação a Medjugorje…  

 

 “Ele era realmente muito devoto de Nossa Senhora, incluindo a de Medjugorje. Não é uma coisa negativa...”    

 

 Nossa Senhora de Medjugorje é a Rainha da Paz, mas também da Família que o Monsenhor, como bispo, defende de modo inequívoco...    

 

“É verdade. É muito importante invocar Maria para proteção da Família, formada por um homem e por uma mulher unidos no Sacramento do Matrimónio. Nas aparições de Medjugorje encontramos no centro o Rosário, a Adoração Eucarística, o Jejum, a Penitência – tudo coisas positivas para a vida, e que incentivam e animam o desenvolvimento da fé.”    

 

Quais são os frutos de Medjugorje?  

 

“Como lhe disse, limito-me à pastoral e não à doutrina, e portanto não ao tema da veracidade. Quanto aos frutos nas almas, parecem-me positivos. Pelos frutos, entendo a prática dos sacramentos, a conversão, a mudança de vida, a participação na Missa – isto é o que sucede em Medjugorje: não podemos negá-lo nem, pastoralmente, vamos prescindir disto.”  

 

 Ultimamente tem estado gravemente doente. É verdade que também rezou a Nossa Senhora de Medjugorje?  

 

“Contraí malária em África. Rezei a Nossa Senhora e acredito em Maria em todas as suas manifestações.”

 

 

Traduzido do espanhol por Centro da Paz Medjugorje – Maria, Rainha da Paz (Portugal)